Página Inicial Fique por dentro! Beijo entre meninos de 12 e 14 anos em festa de aniversário...

Beijo entre meninos de 12 e 14 anos em festa de aniversário viraliza; vídeo é a nova polêmica da web

Um vídeo que mostra dois meninos se beijando em uma festa de aniversário viralizou nas redes sociais nos últimos dias. Nas imagens, é possível ver que os garotos participam de uma festa de aniversário em que o bolo é decorado com o rosto da drag queen Pabllo Vittar. Em determinado momento, os dois se beijam. E este é o motivo que faz a gravação repercutir.

De um lado há quem diga que os meninos são muito novos e que foram sexualizados cedo demais. O deputado Paulo Eduardo Martins, do PSDB-PR, foi uma das figuras a criticar o envolvimento entre os garotos. Ainda não se sabe se eles são realmente namorados e o local onde o vídeo foi gravado. A idade do suposto casal também não é certa, mas especula-se na web que eles aparentam ter 12 e 14 anos. Para Martins, no entanto, os dois “não têm condições de discernimento a escolherem sobre caminhos aos quais ainda não estão preparados para seguir”.

“Eu lamento pelos garotos do vídeo, lamento por outras crianças que se enquadram no exemplo desses garotos. Não lamento pelos adultos responsáveis por todo esse processo cultural, esses eu tenho o dever de combater”, escreveu o parlamentar em um post no Facebook. A publicação conta com quase 4 mil comentários, além de outros 3 mil compartilhamentos.

Do outro lado, internautas defendem o direito de os garotos se beijarem. Alguns argumentam que eles são livres e que a sexualidade começa a florescer na adolescência. Outros dizem que “foi apenas um beijo” e que ninguém os conhece para opinar ao certo sobre a possível relação que existe entre eles, bem como qual é o posicionamento dos responsáveis pelos garotos.

Para o psicanalista mineiro Eduardo Lucas Andrade, o vídeo não mostra nada de anormal. Mas, o especialista faz ressalvas. Coordenador do Instituto Mineiro de Sexualidade em Bom Despacho, no Centro-Oeste de Minas, ele explica que os pais devem ser responsáveis por dialogar e a amparar o desenvolvimento da sexualidade dos filhos da melhor maneira possível.

“Eu não vejo nada de anormalidade. O tema mostra o quanto os sim pais e sociedade estão  despreparados em lidar com a sexualidade dos filhos. Os pais devem criar diálogos, não imposições, sobre a sexualidade desde cedo, respeitando o filho”, disse. “As manifestações da sexualidade e da homossexualidade não têm norma e nem controle, são coisas da vida. No entanto, cabe aos responsáveis dialogar, orientar e conversar a respeito. Não se reprime o que é do sexual”, pondera.

“Todo relacionamento tem perdas e ganhos e a proibição, nesse caso, não seria o ideal e ainda pode levar a caminhos mais perigosos, visto que eles estão na adolescência, época de vivências intensas. O vazamento do vídeo com os preconceitos são muito mais danosos do que o beijo, manifestação de afeto. O fato da temática do bolo, nesta época ainda discriminatória mostra a identificação com uma pessoa que comprova a liberdade da sexualidade independe de seu sobrenome”, pontua. E você, o que acha?

Fonte: BHAZ