Página Inicial MAIS MG Febre amarela: Zoológico de Belo Horizonte vai exigir cartão de vacinação

Febre amarela: Zoológico de Belo Horizonte vai exigir cartão de vacinação

Visitantes do Zoológico de Belo Horizonte precisarão estar vacinados contra a febre amarela para aproveitar o espaço de lazer na capital. Para isso, será necessário apresentar o cartão de vacinação.

A medida que passará a valer a partir do próximo dia 2 de fevereiro tem como objetivo garantir a segurança dos que visitam o local quanto do grupo de animais do zoológico. Para organizar o espaço e adaptá-lo com sinalizações e ações preventivas, o espaço estará fechado do próximo sábado (27) até a quinta-feira (1º).

“Embora não tenhamos registros de casos da doença nas proximidades do zoo, adotar essa exigência do cartão de vacinação é importantíssimo, pois esse é um dos locais da cidade que mais concentra pessoas aos finais de semana e está em meio à mata”, afirma Sérgio Augusto Domingues, presidente da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica (FPMZB).

Como o zoo da capital possui animais que são mais suscetíveis à doença, haverá a retirada deles neste período, conforme explica Sérgio. “É necessário fazer o recolhimento para uma área reservada, que é toda protegida por telas finas. A partir do dia 2 de fevereiro, estarão fora da área de visitação as espécies de primatas bugio, parauacu, sagui-imperador, macaco-da-noite, mico-leão-de-cara-dourada, mico-leão-dourado, macaco-prego e guigó”, explica.

Apesar da retirada dos macacos para visitação é importante destacar que eles não transmitem a febre amarela aos humanos. No trabalho de prevenção eles são aliados, pois, quando contaminados, indicam que o local onde vivem pode ter um foco dos mosquitos transmissores infectados com o vírus.

Inhotim também adota medida

Desde a última terça-feira (23), o Instituto Inhotim, em Brumadinho, tem exigido o comprovante de vacinação dos visitantes que desejam conhecer o espaço.

Em nota, o Inhotim afirmou que desde que alguns casos foram registrados no Estado em 2017 o instituto vem realizando medidas de proteção. “O Instituto informa que não foi identificado nenhum caso de febre amarela no Inhotim e que continua tomando todas as medidas preventivas necessárias para combater a doença”, disseram em nota.

Da Redação Bhaz com PBH