Página Inicial BRASIL Festa de 15 anos tem debutante como sinhá e negros retratados como...

Festa de 15 anos tem debutante como sinhá e negros retratados como escravos; internautas reagiram

Cliques de um ensaio fotográfico para uma festa de 15 anos viraram alvo de críticas nas redes sociais nesta semana. O tema do aniversário foi chamado de “Imperial Garden” e o objetivo era retratar o período imperial brasileiro. No entanto, o fato de a debutante aparecer vestida de sinhá e pessoas negras serem retratadas como escravas desagradou internautas. Muitos argumentam que tais representações são preconceituosas e ajudam a naturalizar práticas racistas. “Brincando com a dor dos negros”, ponderou uma internauta ao comentar o assunto.

Um dos registros mostra uma mulher negra ajustando o vestido da aniversariante. Ela está vestida com trajes típicos do período da escravidão. Em outra foto é possível ver um homem negro em pé ao lado da debutante, que está sentada. Ele também está trajado como escravo.

“Mulheres pretas morrendo enquanto as brancas brincam de sinhá. #RacistasNãoPassarão”, escreveu uma jovem ao lembrar o assassinato da vereadora Marielle Franco, ocorrido na noite dessa quarta-feira (14), no Rio de Janeiro.

As imagens foram, inicialmente, publicadas no Instagram da empresária e cerimonialista Lorena Machado, mas rapidamente se espalharam pela web. Depois de receber uma série de críticas, a mulher bloqueou a conta dela na rede social. Mais tarde, ela publicou uma nota dizendo que a produção do evento não tinha como intenção mostrar a escravidão como algo bom.

Veja a nota na íntegra:

“Na data de ontem, 14.03.2018, o Cerimonial Lorena Machado acompanhado de seus parceiros de trabalho participaram de um ensaio fotográfico de um aniversário de 15 anos, cujo tema é Imperial Garden. Após o término do ensaio e publicação de trechos dele, presenciamos a veiculação dessas imagens como uma reprodução do período escravocrata e forma de racismo. Diante dos ocorridos, com total humildade, estamos vindo a público nos retratar e pedir PERDÃO. Jamais foi nossa intenção fazer qualquer retratação que levasse a entender que a escravidão foi algo bom em nossa história.

Tínhamos a única intenção de retratar o período histórico do Império que, infelizmente, tinha escravidão. Mas, graças a outros olhares, percebemos que fomos infelizes nessa reprodução. Erramos, sim! E admitimos nosso erro. Como todo ser humano, estamos passíveis de erros e acertos. Desta vez erramos, e feio! Pedimos perdão a todos os negros, negras, descendentes, pardos e pardas e a qualquer pessoa que tenha se sentido atingida por nossa publicação. Não foi nossa intenção agredi-los ou ofendê-los, mas admitimos que fizemos. E viemos humildemente pedir o perdão de vocês.

Agradecemos os comentários feitos para que pudéssemos identificar e entender onde erramos, foi essencial para que crescêssemos. No mais, pedimos perdão novamente e o Cerimonial Lorena Machado estará sempre aberto a críticas e elogios, pois eles que nos fazem crescer e amadurecer como seres humanos e profissionais”.

Fonte: BHAZ